Portal dos Movimentos Sociais


Newsletter

Notícias

Publicada em 10-07-2017 às 15h54 e visualizada 4105 vezes




Documento final do G20 isola EUA e reafirma Acordo de Paris; Temer saiu mais cedo

Documento final do G20 isola EUA e reafirma Acordo de Paris; Temer saiu mais cedo

Reunidos em Hamburgo, na Alemanha, para discutir os principais desafios econômicos globais, os representantes políticos das 20 maiores economias mundiais (G20) reafirmaram, no documento final da cúpula, a determinação de enfrentar conjuntamente questões como a pobreza, o terrorismo, o deslocamento forçado de populações, o desemprego, a desigualdade de gênero e as mudanças climáticas.

Ao abordar a questão ambiental, no entanto, o comunicado final do encontro deixou evidente a divergência entre os Estados Unidos e os demais membros do G20, com críticas à saída dos norte-americanos do Acordo de Paris, firmado em 2015 durante a 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21) com compromissos globais de enfrentamento às mudanças climáticas.

O acordo foi assinado a ocasião pelo ex-presidente Barack Obama, mas, em junho, o atual mandatário, Donald Trump, decidiu retirar o apoio dos Estados Unidos à iniciativa.

“Os líderes dos outros membros do G20 afirmam que o Acordo de Paris é irreversível e reiteram a importância de que sejam cumpridos os termos da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima”, diz o documento, em nome dos demais 19 países do grupo. O texto também destaca a importância das potências econômicas ajudarem financeiramente os países mais pobres a implementarem ações que os ajudem a se desenvolver economicamente preservando ao máximo o meio ambiente.

Segundo a agência de notícias alemã DPA, a menção de reconhecimento à intenção dos Estados Unidos de, mesmo se retirando do Acordo de Paris, ajudar outros países “na utilização de combustíveis fósseis mais limpos e eficientes” gerou controvérsia e só foi incluída no documento final para agradar a delegação norte-americana.

O presidente Michel Temer deixou o encontro ainda na manhã deste sábado (8), antes mesmo de a reunião ser finalizada. Temer postou em seu Twitter que o presidente norte-americano, Donaldo Trump, elogiou a economia brasileira. Antes, teve presença discreta em Hamburgo. em declaração durante o encontro, Temer chegou a dizer que a economia brasileira não está em crise, tropeçou nas palavras ao afirmar que o desemprego está crescendo e tentou passar tranquilidade ante o ambiente de conspiração de aliados para afastá-lo e apoiar a indicação indireta do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para substituí-lo.

Com informações da Agência Brasil






Copyright © 2019 Movimento social | Todos os direitos Reservados

Fractal Midia